Eles também voam - Rali de Portugal 2017

Eles também voam – Rali de Portugal 2017

O mês de maio é normalmente acompanhado por variadíssimos acontecimentos. O Rali de Portugal de Portugal é um deles e é sobre ele que irei desbravar algumas palavras.
As maiores novidades para 2017 no Campeonato Mundial de Ralis, são carros mais leves em cerca de 25kg e um motor que apesar de manter os 1.600 cm3, com um turbocompressor e uma wastegate calibrada para fornecer um máximo de 2,5 bar, muda o restritor. Até aqui, este tinha um diâmetro de 33 mm e passa a ter 36 mm, o que permite ao motor respirar melhor, obtendo mais ar, mais gasolina, logo mais potência. Falamos portanto de uma evolução de potência na ordem dos 80Cv. Dos anteriores de cerca de 300Cv, para os 380Cv. Por esta via, os carros apresentam uma aerodinâmica mais robusta, tornando-se muito mais bonitos.

Passando da teoria para a prática, a verdade é que os dois pilotos mais rápidos da primeira classificativa do Rali de Portugal, disputada no circuito de Lousada, tiraram mais de quatro segundos ao melhor tempo alcançado em 2016. O tempo do campeão do mundo Sébastien Ogier, o mais rápido em 2016, com o tempo de 2.41,1 minutos, então ao volante de um Volkswagen Polo, foi superado por Mads Ostberg, em Ford Fiesta WRC, e Thierry Neuville, em Hyundai I20 WRC, que completaram os 3,36 quilómetros da primeira classificativa em exactos 2.36,6 minutos.

O PRIMEIRO CONTATO – BRAGA STREET STAGE

Após o sucesso do Porto Street Stage no ano passado, o Street Stage mudou para Braga. 180 mil pessoas assistiram a este percurso de 1,9 quilómetros no centro de Braga. Aqui já cheirei o combustível e a borracha. Já ouvi estas poderosas máquinas a cerca de dois metros de distância. Percurso muito estreito e técnico, belas acelerações em recta e travagens duras já demonstravam o poderio das máquinas. Por falar em máquinas, em Braga já deu para tirar o gosto ao dedo… da Nikon.

VIEIRA DO MINHO – AGRADÁVEL SURPRESA

Chegámos a Vieira do Minho por volta da meia noite. O acesso à classificativa só abria às 04h00 da madrugada sendo que esta foi a primeira de muitas novidades. Nunca tinha encontrado uma janela de acesso à classificativa desta forma. Encerramento dos das 17h até às 04 da madrugada. Sem problema, 03h50 e começamos a subir. Cerca de 8km, o primeiro quilómetro em pedrado, depois totalmente por estrada de terra batida até ficarmos a cerca de 100m da passagem dos carros. Foi comer alguma coisa e “passar pelas brasas” alguns minutos.
9h08 era o horário de arranque do primeiro carro. Escolher então o melhor lugar, “pré-programar” as máquinas fotográficas era prioritário.

Primeira passagem, a adrenalina sobe. Era a hora do enquadramento perfeito, da focagem perfeita. Muita responsabilidade debaixo de uma temperatura a começar a subir. Valeu o creme protector.

Como já tinha abordado mais em cima, o barulho dos carros este ano é elucidativo da sua potência. Um ronco bem maior em que notamos claramente toda a potência a ser passada para a tracção integral dos carros. Fantástica esta evolução / revolução, sendo que a salvaguarda dos pilotos parece estar assegurada no habitáculo do carro.
Depois de visitar o Marão em anos anteriores, Vieira do Minho mostrou ser uma excelente opção numa classificativa nota dez de dez. Primeiro o público que se mostrou à altura das suas responsabilidades. Depois o desenho natural da classificativa, claramente propício à pratica da modalidade. Uma envolvência natural ímpar, com o Gerês logo ali ao lado.

Termino, deixando um muito obrigado a todos os que leram este testemunho. FANTÁSTICO RALI DE PORTUGAL, foi o possível da minha parte mais uma vez, mas foi inesquecível como espero que comprovem as fotografias que vos deixo.
Todas as fotos estão disponíveis para venda online ou impressão.

Clique na Imagem para abrir o álbum


Mais informações e preços através do já habitual formulário de contato.

Segue e Partilha !
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *