A evolução por meio de seleção natural

A evolução por meio de seleção natural

Em Setembro e até Novembro são o momento mais assertivo para observar o comportamento dos veados em estado selvagem, pois coincide com a sua época de acasalamento, o Brama.

Para mim, o tempo nem tem sido muito neste ano de 2018. É nesta altura do ano que os veados procuram constituir haréns e defendê-los dos restantes machos. As incursões têm sido poucas, no entanto em tempo de Brama na Serra da Lousã, já pude verificar baixas. Na imagem um veado em algum estado de decomposição, muito provavelmente ferido após lutas com outro ou outros machos a fim de fixar território para acasalamento.

Ora este, apesar de triste, é também parte de um processo proposto por Charles Darwin, ou seja A teoria da evolução por seleção natural.

O conceito básico de seleção natural é que características favoráveis que são hereditárias tornam-se mais comuns em gerações sucessivas de uma população de organismos que se reproduzem, e que características desfavoráveis que são hereditárias tornam-se menos comuns. A seleção natural age no fenótipo, ou nas características observáveis de um organismo, de tal forma que indivíduos com fenótipos favoráveis têm mais chances de sobreviver e se reproduzir do que aqueles com fenótipos menos favoráveis. Gradativamente, desenvolveu-se a ideia de pluralidade de espécies existentes sendo obtido a partir do processo evolutivo, onde a seleção natural priorizava algumas variações intraespecífica por meio da luta por sobrevivência do mais apto.
in wikipédia

A fim de também haver um “controlo de populações”, o ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas), um organismo em minha opinião totalmente obsoleto, autoriza que estes animais sejam “caçados” pelos hUMANOS sem qualquer tipo de regra, em qualquer altura do ano, regendo-se apenas o fator sorte/azar. Não interessa a Selecção Natural, não há qualquer estudo sobre as populações e o tipo de populações nas áreas de caça a uma atividade que chamam de cinegética.
Ensinamos os nossos jovens a fazer os TPC’s, mas os nossos institutos passam facilmente por cima deste conceito básico. Sou capaz de afirmar que é mais fácil obter uma licença para uma caçada deste tipo do que para uma prova federada de atletismo ou motociclismo para o mesmo território.

Apenas para terminar.
Espero continuar a ser seguro andar pela Serra da Lousã, sem ouvir tiros de uma qualquer carabina ao perto, já que também aqui a sinalização sobre estas atividades licenciadas são… nulas.

Segue e Partilha !
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *